Search
back to top

We The People

ENG

 

WE THE PEOPLE

Reproductions in larger formats of biometric photographs, rehearsing the identification even in face of a democratic narrowing. The search for identity from its source in a space in bio-politic crisis and the consequence of colonization.
The 13 people portrayed; indigenous, african-americans, Latinos, represents the 13 stripes of the American flag, or the 13 colonies.
The “afterimage” effect in the work, suggests a reveal not only of the pictures in question, but a reflection. When the experiment is performed and the viewer looks at the image of the negative for 30 seconds, the eyes will search to continue the image on a blank space. Physiologically, the brain and the eyes seek equilibrium and so the image is revealed in its positive state.
The negative view that the works are arranged, is perhaps a view of the privileged who believes that “we are all equal” before laws, constitution and history, but we are not.
Over all construction pillars of a nation, non-white people have suffered historically and suffer consequences of a colonized society. Blood shed by these red stripes for something to be built, blood from us, we the people”.

 

 

 

NÓS, O POVO

Reproducões em maiores formatos de fotografias biométricas, ensaiando a identificação mesmo perante um estreitamento democrático. A busca da própria identidade a partir da sua origem em um espaço em crise biopolítica e consequência colonizatória..
As 13 pessoas retratadas; indigenas, negros, latinos, representando as 13 faixas da bandeira americana, as 13 colônias.
O efeito “afterimage” no trabalho, sugere revelar não só os retratos em questão, mas sugerir uma reflexão. Quando o experimento é realizado, e o telespectador olha a imagem do negativo por 30 segundos e na sequência seus olhos vão buscar a dar continuidade na imagem em um espaço em branco, fisiologicamente, o cérebro e os olhos buscam o equilíbrio e assim a imagem é revelada em seu positivo.
Essa visão negativa que os trabalhos estão dispostos, é talvez uma visão do privilegiado que acredita que “somos todos iguais” perante leis, perante uma constituição, perante a história, mas não somos.
Diante todos os pilares de construção de uma nação, não brancos sofreram históricamente e sofrem consequências de um mundo colonizado, sangue derramaram-se por essas faixas vermelhas para que algo fosse construído, sangue de nós, o povo”.
Date

September 19, 2016

Tags

Affterimage effect, Biometric, Biopolítica, Black People, Colonização, Colonized, Constitution, Decolonized, Descolonização, Imigrantes, Indígenas, Indigenous, Latin America, Luiza Prado, Negros, Photography, Physiologically, We The People

Categories

Photo